IL PROGETTO “TAMBURI PER LA FINE DELLA VIOLENZA SULLE DONNE” DEL GRUPPO BAIANO AFRO-POP "A MULHERADA" A SALVADOR BAHIA
Antonella Rita Roscilli
TESTO IN ITALIANO   (Texto em portugûes)

L'obiettivo dell’Istituto A Mulherada di Salvador Bahia negli ultimi anni è quello di combattere la violenza domestica contro le donne e lo fa sempre con l’appoggio istituzionale del Centro di Culture Popolari e Identitarie. Il gruppo afro-pop nato dall'Istituto "A Mulherada" è quest'anno vincitore del “Concorso Culture Popolari 2012-Categoria Genere”, istituito dalla “Secretaria de Cultura do Estado da Bahia” (Fundo Estadual de Cultura) con il progetto Tambores pelo fim da Violência – Tocar pode, bater não (in italiano "Tamburi per la fine della violenza – Suonare si può, picchiare no"). Proprio con questo progetto il gruppo  si presenta nel centro storico di Salvador nei giorni 3, 13, 17 e 22 novembre 2012: musica, danza e riflessioni cercheranno di sensibilizzare l'opinione pubblica su un problema increscioso che non accenna a diminuire.

Mônica Kalile, presidente dell’Istituto, dichiara: “Il gruppo afro-pop A Mulherada ha preparato un repertorio specifico per parlare di amore e difesa della vita senza violenza. Vi saranno anche ospiti speciali. Oltre alla musica il programma prevede video educativi e testimonianze. Insomma, tutto per poter stimolare una riflessione e soprattutto mostrare la necessità di cambiare la realtà crescente della violenza domestica e familiare. Purtroppo la violenza in un solo anno ha coinvolto 300.000 donne in Brasile, almeno secondo i dati del 2008, divulgati nella 7° Sessione Annuale del Consiglio dei Diritti Umani a Ginevra, in Svizzera.”

Il programma Tambores pelo fim da Violência – Tocar pode, bater não viene realizzato da ben cinque anni anche durante il Carnevale di Salvador. Portando il progetto specifico nel centro storico, A Mulherada spera ora di poter unire più persone in questa campagna coinvolgendo diversi settori della società che lavorano per coscientizzare e per la fine della violenza domestica contro le donne. Nelle quattro serate saranno distribuiti anche depliants con informazioni di centri di denuncia e appoggio alle donne vittime di violenza, oltre a magliette della campagna.

L’Istituto A Mulherada lavora da tempo a Salvador per aiutare nella lotta contro la violenza. Qui nel 2008 circa 150 donne sono state assassinate dai loro compagni e più di 10.000 hanno sofferto qualche specie di violenza domestica, secondo i dati diffusi dall’Istituto stesso. E fino a giugno 2009 la Deam (Delegacia Especial de Apoio à Mulher) ha registrato 4.075 casi di violenza contro le donne, secondo i dati del Departamento de Crimes Contra a Vida (DCCV).
 
Dobbiamo poi ricordare che il programma Tambores pelo fim da Violência appoggia la Lei Maria da Penha creata in Brasile sei anni fa per punire la violenza domestica e familiare, importante strumento di lotta a ogni tipo di violenza sofferta dalle donne. Questo programma fa parte della campagna per la visibilità del problema nel mese di novembre, quando si commemora la Giornata Internazionale di lotta alla violenza contro le donne. In molti stati brasiliani si dà risalto a questa data con varie azioni positive per la causa, purtroppo, secondo Monica Kalile, a Salvador ancora non è molto sentita. " Lottare contro la violenza domestica deve essere un impegno quotidiano poiché ogni 5 secondi una donna è vittima di violenza domestica nel mondo."

L’Istituto A Mulherada è una entità senza fini lucrativi di utilità pubblica municipale e statale fondata nel 2001 che lotta per la difesa dei diritti delle donne vittime di violenza senza opportunità di lavoro e per la inclusione educativa e professione delle stesse, a partire dalla identificazione delle domande e necessità della popolazione femminile di Salvador. Ha da tempo accettato la sfida di cercare di mutare il destino delle donne vittime di violenza  e soprattutto delle donne in situazione di vulnerabilità intervenendo nella realtà del quotidiano, collaborando perché le stesse rompano l’omertà, il silenza che inizia con la sottomissione e la dipendenza e che culmina a volte con la morte delle stesse vittime.

Secondo l’Istituto i numeri dei casi di violenza sulle donne e la ripercussione di questi in tutto il Brasile dovrebbe stimolare riflessione e attenzione maggiore innanzi a questo quadro  gravissimo. Per questo porta avanti un’opera di sensibilizzazione e lo fa con un gruppo di donne artiste. A Mulherada, quindi, attraverso musica, danze, colori e cultura popolare diventa strumento di lotta.
 
Infine, vorremmo ricordare che la presidente Monica Kalile si è impegnata negli anni passati nel progetto che ha avuto come obiettivo la difesa della Memoria e della Storia con la creazione di un monumento in onore di un eroe della Resistenza Negra: Zumbi dos Palmares. Una statua oggi si trova nel centro storico di Salvador, luogo dove più che mai è evidente il grande apporto della cultura afro-brasiliana nei secoli. La statua, insieme a molte altre iniziative e luoghi deputati (MUncab, Museo del Benin, Museo afro Ceao), riscatta con la Memoria la Storia, l’apporto della cultura afro-brasiliana nei secoli e l’importanza di Zumbi dos Palmares che si festeggerà il giorno 20 novembre 2012, Dia da Consciência Negra in Brasile.  
 

-------------------------------------------------------------------------------


TEXTO EM PORTUGÛES   (Testo in italiano)

A BANDA AFROPOP A MULHERADA  LEVA PARA O PELOURINHO DE SALVADOR BAHIA O PROJETO
TAMBORES PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER


Combater a violência doméstica contra as mulheres em Salvador tem sido a meta do Instituto A Mulherada nos últimos anos, sempre com o apoio institucional do Centro de Culturas Populares e Identitárias. Vencedoras do Edital Culturas Populares 2012- Categoria Gênero, instituído pela Secretaria de Cultura do Estado, com o projeto Tambores pelo fim da Violência- Tocar pode, bater não, A Mulherada vai poder brindar o público com música, dança e reflexão nos  próximos dias 03, 13, 17 e 22, das 19 às 23h, na Praça Teresa Batista, no Pelourinho.

Mônica Kalile, presidente do Instituto, declara: “A Banda Afropop A Mulherada preparou um repertório especialmente escolhido para falar de amor e da defesa de uma vida sem violência e que terá a canja de convidados especiais. A programação  vai estar recheada, além de dança e música, também de vídeos educativos e de depoimentos, tudo  para possibilitar uma reflexão  e,  sobretudo mostrar a necessidade de mudar a realidade crescente de violência doméstica e familiar, que chegou a atingir mais de 300 mil mulheres no Brasil em apenas um ano, segundo dados de 2008 , divulgados na 7ª Sessão Anual do Conselho de Direitos Humanos, em Genebra, na Suíça.”
 
O programa Tambores pelo fim da Violência- Tocar pode, bater não vem sendo executado há cinco anos, sempre durante o carnaval de Salvador, no Circuito Barra Ondina e agora vai levar  artistas, autoridades  e o público em geral para o Centro Histórico, com objetivo de unir mais pessoas nesta campanha, envolvendo  os  diversos setores da sociedade que trabalham pelo fim da violência  doméstica contra as mulheres. Nesses quatro dias também vão ser distribuídos gratuitamente cartilhas com informações de onde buscar apoio e denunciar e camisetas da campanha. O Instituto A Mulherada acompanha e trabalha para reverter os números registrados no estado da Bahia, em especial na capital, onde, em 2008 cerca de cinquenta e cinco mulheres foram assassinadas por seus companheiros e mais de 10 mil sofreram algum tipo de violência doméstica.

E onde até junho de 2009, a Delegacia Especial de Apoio à Mulher (DEAM) registrou 4.075 ocorrências de violência contra a mulher, de acordo com o Departamento de Crimes Contra a Vida (DCCV). Apoia a implantação da Lei Maria da Penha, criada há seis anos para coibir e punir  a violência doméstica e familiar e reforça a sua importância como instrumento de combate à toda  violência sofrida pelas mulheres nos lares brasileiros.  O evento TAMBORES PELO FIM DA VIOLÊNCIA – TOCAR PODE  BATER NÃO -  faz parte da campanha  pela visibilidade  do tema e pelo fim da violência contra as mulheres no mês de novembro, quando se comemora  o dia Internacional  de Combate à Violência contra as Mulheres (25/11). A referida data tem destaque em outros estados brasileiros com varias ações afirmativas em prol da causa, infelizmente Salvador uma das capitais de maior índice de violência doméstica o tema neste período ainda passa despercebido.

Lutar contra a violência doméstica deve ser uma rotina diária, pois a cada 5 segundos uma mulher é vitima de violência  doméstica  no  mundo. O Instituto A Mulherada è uma entidade sem fins lucrativos de utilidade pública municipal e estadual, fundada em 2001, que luta pela defesa dos direitos das mulheres vítimas de violência sem oportunidade de emprego e pela inclusão educacional e profissional das mesmas, a partir da identificação das demandas e necessidades da população feminina de Salvador, aceitou o desafio de tentar mudar o destino das mulheres vitimadas pela violência doméstica e, especialmente, as mulheres em situação de vulnerabilidade, intervindo no cotidiano, colaborando para que as mesmas quebrem o ciclo do silêncio que se inicia com a submissão e dependência, culminada muitas vezes na morte das vitimas.
Para o Instituto, os casos de violência e a repercussão de tais fatos em todo o Brasil, trazem a oportunidade de reflexão e  alerta diante deste quadro ultrajante. Por isso o Instituto lança mão do recurso cultural durante todo o ano e principalmente no período de carnaval, tendo à frente a Banda A Mulherada, como ferramenta de combate, discutindo sobre a temática e criando mecanismos de combate à violência contra a mulher.

Por fim lembramos que a presidente Monika Kalile defendeu muito nos anos passados o projeto pela implantação de uma estatua que homenageasse  a Memória de um herói da Resistência Negra: Zumbi dos Palmares. Uma estatua bonita hoje em dia se encontra no centro histórico de Salvador, onde è muito importante a contribuição da cultura afro-brasileira. O monumento, junto com outras iniciativas e projetos importantes (MUncab, Museo del Benin, Museo afro Ceao) tem o objetivo de resgatar a Memória, a História e a importancia de Zumbi dos Palmares que vai ser homenageado em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra no Brasil.