A Roma Mostra sulla storia del PRANZO DI FAMIGLIA: trent'anni di vita italiana
Elisabetta Castiglioni
TESTO IN ITALIANO   (Texto em portugĂ»es)

Unire la cultura a location inedite della città è il progetto di rivalorizzazione territoriale che  a Roma, fino al 18 gennaio, vedrà coinvolti 4 storici mercati rionali per ospitare una mostra dedicata al “pranzo di famiglia”.
L’iniziativa parte dal presupposto che si possa migliorare sia il rapporto con il pubblico che la qualità del commercio, grazie anche alla vivacità ed alla contaminazione culturale.

E' parte integrante di una strategia di profonda ridefinizione del layout dei mercati nel panorama economico, sociale e culturale della Capitale. Artefici ne sono le Istituzioni comunali e municipali della città ed alcune associazioni e consorzi di servizi degli operatori romani (U.P.V.A.D., Co.Ri.De, Municipio Roma Centro e Municipio Secondo (ex 2 e 3), CAR-Centro Agroalimentare Roma, Regione Lazio-Arsial e Confcommercio Roma).

C
uratore è Marco Panella, che ha già all’attivo fortunate esposizioni dedicate alla Dolce Vita, alla Fantascienza ed al Cibo Immaginario. Con questo progetto vuole riportare la memoria conviviale ad un passato storicamente perduto ma presente nel cuore di molte generazioni, oramai vissute.


                                                                         
                                                                           

“Il rito del mangiare è il primo vero social network della storia ed il pranzo di famiglia è un archetipo assoluto della convivialità italiana, un giacimento culturale straordinario nel quale ritrovare tratti e lineamenti comuni ad una nazione intera. Ho avuto questo spunto di grande suggestione per andarne a recuperare la memoria estetica, per costruirci intorno una narrazione e farla diventare un grande evento di contaminazione culturale”  dichiara Panella “La mostra racconta questa memoria attraverso un paradigma visivo comune a tutte le famiglie italiane. Realizza una vera e propria operazione di antropologia culturale. La sua principale fonte è il più grande, prezioso e inesplorato archivio fotografico italiano: quello delle famiglie. Affiorano immagini recuperate dagli album e dalle cantine, o ritrovate per caso e con pazienza sulle bancarelle dei mercatini, dove le memorie disperse si affastellano cercando nuova vita”.

Il grande affresco iconografico ripercorre trenta anni di vita italiana con 120 fotografie che parlano il linguaggio spontaneo e istantaneo degli scatti recuperati dagli album familiari  e 60 immagini che raccontano il pranzo di famiglia con il linguaggio immaginario delle suggestioni pubblicitarie: l’iperrealismo delle copertine di riviste, i rotocalchi e i fumetti.

                                                                         
                                                                           
Un percorso articolato in 180 immagini, diverse in ciascuno dei quattro mercati, che faranno vivere al pubblico l’esperienza visiva di una memoria che appartiene a tutte le famiglie italiane.
Sono pochi i momenti che appartengono alle memorie generazionali quanto il rito del pranzo e del convivio familiare. Per una festa comandata – come si diceva una volta - o per un compleanno, per un matrimonio o una gita, in una qualunque domenica o in un qualunque giorno della settimana, ogni occasione è sempre stata quella giusta per ritrovarsi intorno ad un tavolo, condividere cibo e vita e specchiarsi nelle reciproche virtù, passioni, debolezze, gioie, speranze e dolori.

Un rito collettivo a tutto tondo, il pranzo di famiglia, con i suoi segni estetici e le sue liturgie precise, in un’Italia che, proprio a tavola, ha saputo attraversare la vita facendo dell’occasione conviviale una pietra miliare della sua memoria. 
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Elisabetta Castiglioni Dottore di ricerca nelle discipline dello spettacolo e giornalista presso alcune testate italiane specializzate in cultura, è titolare dal 2001 di un'Agenzia di Comunicazione intitolata a suo nome. Tra i principali eventi seguiti, il ROMA WINE FESTIVAL, la rassegna di musica SUONA FRANCESE, il TRASTEVERE NOIR FESTIVAL, il Centenario di Vinicius de Moraes all'Auditorium Parco della Musica e alcune mostre di arte contemporanea per conto dell'Ambasciata del Brasile in Italia.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 
© Copyright  SARAPEGBE                                                             
E’ vietata la riproduzione, anche parziale, dei testi pubblicati nella rivista senza l’esplicita autorizzazione della Direzione
-------------------------------------------------------------------------------


TEXTO EM PORTUGĂ›ES   (Testo in italiano)

Em Roma uma Exposição sobre o ALMOÇO DE FAMÍLIA: trinta anos de vida italiana
por
Elisabetta Castiglioni
                                                                         

                                                                             

Um novo projeto da cidade de Roma prevê a união entre cultura e lugares inéditos da cidade, envolvendo por isso 4 importantes feiras de bairro, onde foi lançada uma exposição dedicada ao "Almoço de família", e que vai até o dia 18 de janeiro de 2015.

A iniciativa pressupõe que se possa  melhorar ainda mais o laço entre o publico e a qualidade do comercio, devido à vitalidade e contaminação cultural. Isso faz parte de uma estratégia de redefinição das feiras dentro do panorama econômico, social e sobretudo cultural da capital italiana. Conta com o patrocínio das instituições da cidade e algumas associações e serviços de consórcios romanos (UPVAD, Co.Ri.De, Roma Câmara Municipal e Centro de cidade (ex 2 e 3), CAR-Centro de Agronegócio Roma, Lazio Região -Arsial e Confcommercio Roma).

Curador da expo é Marco Panella, que já organizou exposições de sucesso dedicadas a Dolce Vita, Ciência dos Alimentos e ao Imaginário. Esse projeto quer trazer de volta a memória de um passado historicamente perdido, mas que ainda vive nos corações de muitas gerações e se constitui ainda como um valor importante na família.
                                                                         
                                                                             Almoço de família 

"O ritual da comida è o primeiro social network da história e sobretudo o almoço de família é um arquétipo absoluto do convívio italiano, um campo cultural em que podemos encontrar traços extraordinários e comuns a uma nação inteira. Eu tive essa idéia de enorme sugestão para recuperar a memória estética, para construir ao seu redor uma narrativa e torná-lo um grande evento de contaminação cultural "declara o idealizador Marco Panella.

" A exposição conta essa memória através de um paradigma visual comum a todas as famílias italianas, realizando uma verdadeira operação de antropologia cultural. Sua principal fonte é o maior arquivo fotográfico italiano, inexplorado e valioso: o das famílias.  Muitos cortes de imagens recuperadas do álbum e dos baús, ou encontradas, por acaso e pacientemente, nas bancas das feirinhas, onde as memórias espalhadas vão procurando uma nova vida. "
                                                                             
                                                                               Almoço de família 

Os traços iconográficos ilustram 30 anos de vida italiana com 120 fotografias espontâneas e instantâneas recuperadas de álbuns de família, e 60 imagens que contam o almoço de família com uma linguagem imaginária de sugestões publicitárias: hiper-realismo de capas de revistas, jornais e  e histórias em quadrinhos. Trata-se de um caminho dividido em 180 imagens, diferentes em cada uma das quatro feiras. O público poderá viver a experiência visual de uma memória coletiva pertencente a todas as famílias italianas.

Existem poucos momentos, como o ritual do almoço e do convívio familiar, que fazem parte de todas as memórias geracionais. Um dia festivo religioso - como era uma vez - ou um aniversário, um casamento ou um passeio, em um qualquer domingo ou qualquer dia da semana: todos estes momentos sao bons para se encontrar ao redor de uma mesa, compartilhando comida e vida, dialogo, trocas, se espelhando nas recíprocas virtudes, fraquezas, alegrias, esperanças e tristezas. Um ritual coletivo o do almoço de família, com seus sinais estéticos e suas liturgias precisas, em uma Itália, que, simplesmente na mesa tem sido capaz de fazer do convívio um marco de valores e de sua memória coletiva.
 
 











---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
©SARAPEGBE. É proibida a reprodução, mesmo que parcial, dos textos publicados na revista sem a explícita autorização da Direção.
Traduzione in portoghese di Antonella Rita Roscilli
Elisabetta Castiglioni. PhD em "Disciplinas e Artes do Espetáculo" e jornalista para várias revistas especializadas em cultura italiana. E' proprietária desde 2001 de uma Agência de comunicação que leva seu nome. Dentro dos principais eventos, fez assessoria de imprensa para a Festa do Vinho ROMA , o Festival de música "Suona francese", o Festival Noir em Trastevere, o Centenario de Vinicius de Moraes no Auditorium Parco della Musica de Roma e algumas exposições de arte contemporânea, por conta da Embaixada do Brasil na Itália.