"Esses Moços": Jota Velloso e Lupicínio Rodrigues Filho al CAFÉ-TEATRO RUBI Sheraton da Bahia Hotel
Debutta in Brasile lo spettacolo in omaggio a Lupicínio Rodrigues. Salvador Bahia
Antonella Rita Roscilli
TESTO IN ITALIANO   (Texto em portugûes)


                                                                                                                                                                                                News Sarapegbe
"Lupicinio è l´eroe dell´amore, delle lagrime, della passione e dello stile della canzone dor-de-cotovelo. Con le sue maniere tenere,  con il suo andare calmo e sereno, canticchiava  in ogni angolo, in ogni piazza, e nei bar, negli ambienti affumicati, o nel freddo delle notti dell´inverno gaúcho, conquistó il Brasile, le Americhe, i continenti e atterró soavemente nella sua terra natale". Così il grande cantante brasiliano Lupicínio Rodrigues viene descritto dal figlio Lupicínio Rodrigues Filho.  

Proprio lui, insieme al cantante e compositore baiano Jota Velloso, gli renderà omaggio nello spettacolo "Esses Moços", che si terrá in Brasile, a Salvador Bahia, nel Café-Teatro Rubi (Sheraton da Bahia) a Salvador Bahia, Brasile, nei giorni 4 e 5 agosto p.v.   

Lupicínio Rodrigues fu uno dei compositori più originali della musica popolare brasiliana. Nacque nel 1914 a Porto Alegre, capitale dello stato brasiliano Rio Grande do Sul. Compose marchinhas di carnevale e samba-canções, canzoni che esprimono sentimento, ma soprattutto la malinconia per un amore perduto. 
                                                         
                                                            Sala del Café-Teatro RUBI a Salvador Brasil
                                                                            Foto divulgazione

Creó l´espressione dor-de-cotovelo che vuole indicare il dolore ai gomiti di colui che é stato abbandonato in amore e si ritrova in un bar, con i gomiti appoggiati sul bancone, a bere per la disperazione di un amore perduto. Grazie a lui questa espressione oggi indica uno stile di canzone che racconta disavventure amorose, tema del quale fu imbattibile creatore.

Nello spettacolo "Esses moços" l'opera musicale del compositore gaúcho costituisce un brillante punto d'incontro tra Jota Velloso e Lupicínio Filho. Sarà un dialogo musicale fertile nel quale Lupicínio, in quanto figlio, sia per genetica che per convivenza, possiede tante informazioni e memoria sul grande compositore. Invece Jota rappresenterà lo sguardo esterno, che ricorda ancora quando, durante la Tropicália, tanti artisti vennero influenzati dalla bellezza del lavoro lupiciniano. Ricordiamo che Jota Velloso è anche compositore e produttore musicale.  Nipote di grandi artisti quali Bethania e Caetano, ha visto incidere suoi brani da Gal Costa, Daniela Mercury, gli stessi Maria Bethânia e Caetano Veloso, e tanti altri.

                                                                 

L´opera dell´artista gaúcho si ritrova anche nelle librerie. Infatti Lupicínio Filho nel 1995 ha organizzato il libro "Foi Assim" (Editora L & PM) con una selezione delle cronache pubblicate dal padre sul quotidiano "Última Hora", di Porto Alegre, nel 1962 e 1963. Durante lo spettacolo, racconterá episodi legati a suo padre, come ad esempio l'influenza della musica argentina nel suo repertorio, attraverso interpretazioni di qualcuno che convisse con lui.  

Invece Jota Velloso racconterá il suo primo contatto con l´ opera di Lupicínio e l'influenza di questo compositore in  alcune  sue  composizioni.    L´intero spettacolo  avrá come filo conduttore momenti storici della musica popolare brasiliana e quel tipo di sentimento romantico che, attraverso l´ opera di Lupicínio Rodrigues, continua ad essere sempre attuale.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Antonella Rita Roscilli. Brasilianista, scrittrice, ricercatrice e traduttrice. Da oltre venti anni si dedica alla divulgazione in Europa della cultura latino americana, soprattutto cultura e attualità del Brasile, oltre ai Paesi dell’Africa di lingua portoghese, attraverso articoli pubblicati in giornali e riviste accademiche, partecipazioni in convegni e conferenze nazionali e internazionali. Laureata in Italia in Lingua e Letteratura Brasiliana, è in Brasile Mestra em Cultura e Sociedade. In Brasile é stata eletta Membro  Corrispondente per l´Italia della Academia de Letras da Bahia (ALB), e Membro Corrispondente dell'Istituto Storico Geografico (GHB). Ideatrice nell'area documentaristica. Ha tradotto in italiano articoli, opere e racconti di autori come Carlos Nejar, Sérgio Paulo Rouanet, Mia Couto, Luiz Ruffato, Jorge Amado, Zélia Gattai ecc. E' biografa della memorialista brasiliana di origini italiane Zélia Gattai Amado, sulla quale ha pubblicato le opere Zélia de Euá Rodeada de Estrelas (ed. Casa de Palavras, 2006), Da palavra à imagem em “Anarquistas, graças a Deus” (ed. Edufba/Fapesb, 2011) e Zélia Gattai e a Imigração Italiana no Brasil entre os séc. XIX e XX (ed. Edufba 2016. E´sua la post-fazione dell’edizione italiana Un cappello di viaggio (ed. Sperling &Kupfer).



 
© SARAPEGBE                                                             
E’ vietata la riproduzione, anche parziale, dei testi pubblicati nella rivista senza l’esplicita autorizzazione della Direzione

-------------------------------------------------------------------------------


TEXTO EM PORTUGÛES   (Testo in italiano)

Jota Velloso e Lupicínio Rodrigues Filho- "Esses Moços"
no Café Teatro Rubi, Sheraton da Bahia Hotel

A estréia do show em homenagem a Lupicínio Rodrigues  
por
Antonella Rita Roscilli

 
                                                                             

                                                                                                                                                                                            News Sarapegbe
"Lupicínio é um herói do amor, da lágrima, da paixão e da dor-de-cotovelo. No seu jeito meigo, com seu caminhar calmo e sereno, cantarolava em cada esquina, em cada praça, pelos bares, e nos ambientes enfumaçados freqüentados, ou no frio, na serração das noites do inverno gaúcho, conquistou o Brasil, as Américas, os continentes e posou suavemente em sua Terra natal". Assim o grande cantor brasileiro Lupicinio Rodrigues. é apresentado por Lupcínio Rodrigues Filho. 

E para falar do pai, será ele mesmo que, junto ao cantor e compositor baiano Jota Velloso, homenageará a obra do artista gaúcho no show intitulado “Esses Moços”, que acontece no Café-Teatro Rubi, Sheraton da Bahia, em Salvador Bahia nos dias 04 e 05 de agosto, às 20h30.

Lupicínio é um dos compositores mais originais da música popular brasileira. Nasceu em 1914 em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Compôs marchinhas de carnaval e samba-canção, músicas que expressam muito sentimento, principalmente a melancolia por um amor perdido. Se destacou como o criador da dor-de-cotovelo. Foi graças a ele que esta expressão passou a designar um estilo de canção que trata das desventuras amorosas, um tema sobre o qual ele foi um criador imbatível.   

                                                                         
                                                                              Sala del Café-Teatro Rubi a Salvador Brasil
                                                                               Foto divulgazione

No show "Esses moços", a obra musical do compositor gaúcho vai se constituindo  como brilhante ponto de encontro entre Jota Velloso e Lupicínio Filho. Será um diálogo musical muito fértil, pois Lupicínio Filho possui, geneticamente e por convivência, todas as informações sobre o grande compositor. E Jota Velloso vai representar o olhar de fora, de sua vivência com o movimento tropicalista quando os artistas já sinalizavam para a beleza da obra lupiciniana. Vale lembrar que Jota Velloso é músico, compositor e produtor musical. Sobrinho de Bethânia e Caetano, ele tem músicas gravadas por Gal Costa, Daniela Mercury, Maria Bethânia, Caetano Veloso etc.

Lupicínio Filho em 1995 organizou o livro "Foi Assim" (Editora L&PM), com uma seleção das crônicas publicadas por seu pai no jornal "Última Hora", de Porto Alegre, em 1962 e 1963. Durante o show contará histórias autênticas do seu pai, como a influência das músicas argentinas em sua obra, através de interpretações particulares de alguém que conviveu com o pai. 
                                                                     

Jota Velloso, por sua vez, contará sobre o seu primeiro contato com a obra de Lupicínio e a influência deste compositor em algumas músicas suas. Todo o trabalho musical terá como fio condutor momentos históricos da música popular brasileira e o sentimento romântico que sobrevive até os dias de hoje, tornando a obra de Lupicínio Rodrigues sempre atual.


------------------------------------------------------------------------------------
© SARAPEGBE
É proibida a reprodução, mesmo que parcial, dos textos publicados na Revista sem a explícita autorização da Direção
.

 
 
Antonella Rita Roscilli. Brasilianista, jornalista, escritora, pesquisadora e tradutora. Há mais de vinte anos vem se dedicando à divulgação na Europa da cultura latino americana, particularmente da cultura do Brasil, além dos Países da África de lingua portuguesa através de matérias publicadas em jornais, revistas acadêmicas e palestras. Formada na Itália em Lingua e Literatura Brasileira, è no Brasil Mestre em Cultura e Sociedade. Foi eleita Membro correspondente da Academia de Letras da Bahia (ALB) e Membro Correspondente do Instituto Geográfico Histórico (IGHB). Traduziu para o italiano artigos, contos e obras de autores quais Carlos Nejar, Sérgio Paulo Rouanet, Mia Couto, Luiz Ruffato, Jorge Amado, Zélia Gattai etc. Biografa da memorialista brasileira Zélia Gattai, publicou sobre ela as obras literárias: Zélia de Euá Rodeada de Estrelas (ed. Casa de Palavras, 2006), Da palavra à imagem em “Anarquistas, graças a Deus” (ed. Edufba/Fapesb, 2011), Zélia Gattai e a Imigração Italiana no Brasil entre séc XIX e XX"(ed. Edufba-2016). E´dela o posfácio da edição italiana de Um chapéu para viagem, (Un cappello di viaggio, ed. Sperling & Kupfer).