Ricordo di James Amado
Antonella Rita Roscilli
James Amado
TESTO IN ITALIANO   (Texto em portugĂ»es)


"Se for de Paz pode entrar" (Se vieni in Pace puoi entrare) è una frase-simbolo che accoglie da sempre tutti i visitatori che entrano nelle sale della "Fondazione Jorge Amado" di Salvador Bahia, in Brasile. Venne ideata e suggerita da James Amado, scrittore, giornalista e traduttore, fratello di Jorge Amado. E' una frase che esprime il desiderio di coloro che aprirono nel 1987 questo spazio, come un luogo che previlegi la conoscenza e la comprensione fra i contrari, in cerca di armonia e di fratellanza, contro ogni forma di discriminazione. E' una frase di apertura, di democrazia, di Pace.

I
eri, 1 dicembre 2013, James Amado  è venuto a mancare all'affetto dei suoi cari. Se n'è andato dopo una lunga malattia all'età di novantuno anni. Era nato il 31 marzo 1922 ad Ilhéus, al sud dello stato di Bahia, regione del cacao. Era l'ultimo figlio di João Amado e di Eulália Leal. Dopo essersi laureato in Sociologia e Politica, James lavorò per diversi anni a Rio de Janeiro nel giornalismo. Legato al PCB e integrante dell'area culturale, fece parte del gruppo di intellettuali e simpatizzanti tra i quali ricordiamo Afonso Schmidt, Artur Neves, Caio Prado Jr. e suo fratello Jorge.

Padre di Janaina Amado, scrittrice, e di Fernanda Amado, medico, James Amado era stato sposato in prime nozze con la poetessa Jacinta Passos. In seguito sposò colei che gli è stata accanto fino alla fine: Luísa Ramos, figlia dello scrittore Graciliano Ramos.  

Nel 1989 James Amado venne eletto all'Academia de Letras da Bahia ove occupava il seggio n. 27.
E' stato responsabile di uma bella edizione in sette volumi dell'opera completa del poeta baiano Gregório de Matos (1636-1696).  

Ha pubblicato due romanzi: "O levante do posto" e "Chamado do mar" . Quest'ultimo è  ambientato ad Ilhéus ed è uno studio psicosociale. Riproduce in tono lirico l'economia del cacao, l'essere umano e i problemi umani, immersi in uma realtà di miseria e caratterizzata da ingiustizie sociale. Nel 1949 James ricevette la menzione d'onore del Premio "Paolo Prado" per l'opera.

E vogliamo concludere questo omaggio con le parole del poeta, scrittore e giornalista baiano Florisvaldo Mattos che, per ricordarlo, ha detto: "James Amado è stato un intellettuale baiano di posizioni ferme nella difesa della democraziea e nella lotta per la libertà. E' scomparso un grande amico, affettuoso e sincero, un cultore incentivatore e ammiratore vero della letteratura, della poesia e delle arti. Rimarrà nella memoria di coloro che hanno avuto la fortuna di convivere con lui."



-------------------------------------------------------------------------------


TEXTO EM PORTUGĂ›ES   (Testo in italiano)

RECORDO DE JAMES AMADO
por
Antonella Rita Roscilli

James   Amado
 
" Se for de Paz pode entrar" é uma frase simbólica que  dà as bem-vindas a todos os visitantes nas salas da " Fundação Jorge Amado", em Salvador , capital do estado de Bahia, Brasil . Foi pensada e sugerida por James Amado, escritor, jornalista, tradutor e irmão de Jorge Amado . São palavras que expressam o desejo dos que em 1987 elegeram este espaço como um local em que se privilegiasse o entendimento entre contrários, na busca da harmonia e da fraternidade, contra toda forma de discriminação.É uma frase de abertura, democracia e paz.
 
Ontem , 1 de dezembro de 2013, James Amado faleceu depois de uma longa doença e deixando saudade em muitas pessoas. Ele nasceu 31 de marco de 1922 em Ilhéus, sul da Bahia , região do cacau. Era o filho mais novo de João Amado e Eulália Leal. Depois de se formar em Sociologia e Política, James trabalhou por vários anos no Rio de Janeiro como jornalista. Ligado ao PCB e integrante da área cultural , fazia parte do grupo de intelectuais e simpatizantes entre os quais destacamos Afonso Schmidt, Artur Neves, Caio Prado Jr. e seu irmão Jorge .
 
Pai de Janaina Amado , escritora e Fernanda Amado , médica , James Amado se casou a primeira vez com o poeta Jacinta Passos. Mais tarde, se casou com a pessoa que estará perto dele até o fim:  Luísa Ramos, filha do escritor Graciliano Ramos.
 
Em 1989, James Amado foi eleito para a Academia de Letras da Bahia , onde ocupava a cadeira n º. 27 . Foi responsável pela bela edição de sete volumes das obras completas do poeta baiano Gregório de Matos ( 1636-1696 ) .
 
Publicou dois romances : " O levante do posto " e " Chamado do Mar" . Este último foi ambientado em  Ilhéus e se constitui como estudo psicossocial. Fala com um tom lírico da economia do cacau , do ser humano imerso na realidade da miséria humana e caracteriza-se pela injustiça social. Em 1949, James recebeu a Menção de Honra do Premio "Paulo Prado" por esta obra.
 
Concluímos esta homenagem com as palavras do poeta , escritor e jornalista baiano Florisvaldo Mattos, que para lembrar dele , disse: " James Amado era um intelectual de posições firmes na defesa de democracia e na luta pela liberdade. Faleceu um grande amigo, carinhoso e sincero, um verdadeiro incentivador, amante e admirador da literatura , a poesia e as artes. Permanecerá para sempre na memória de todos os que tiveram a sorte de conviver com ele. "